New Property

loading...

Zona ribeirinha lidera oferta de novos escritórios

Numa altura de escassez de espaços de escritórios de qualidade em Lisboa, a zona ribeirinha lidera na oferta de novos escritórios.

 

A área ribeirinha, particularmente entre o Cais do Sodré e Santos, inserida na zona 4 (Zona Histórica) do mercado de escritórios, tinha pouco significado no mercado de Lisboa até 2008. O  processo de mudança teve o seu início nesse ano, com a inauguração, no Cais do Sodré, dos edifícios sede da Agência Europeia Marítima e do Observatório da Droga e, na Avenida 24 de Julho, da sede do Banco BIG, e não foi alheio ao ambicioso projecto de intervenção urbanística que se iniciava em toda a zona e que se encontra hoje praticamente concluído.

Após alguns anos de estagnação, foi inaugurado, em 2015, na Avenida 24 de Julho, um dos mais emblemáticos edifícios da cidade de Lisboa, a nova sede da EDP, com 13.900 metros quadrados, da autoria do arquitecto Manuel Aires Mateus.

Em 2016, o Cais do Sodré recebeu um novo espaço de escritórios, o Second Home, no Mercado da Ribeira, que tem vindo a gerar uma importante actividade empresarial na zona. O próprio Mercado da Ribeira, reabilitado em 2014, teve um papel “estruturante” na renovação da zona ribeirinha.

Ainda em 2016 foi concluído o projecto de reabilitação do Edifício D Luís, que trouxe ao mercado mais 10.300 metros quadrados de nova oferta. Este ano são esperados mais três novos edifícios na zona, todos eles já com ocupação garantida por grandes ocupantes; A instalação da sede da Abreu Advogados num edifício em frente ao Jardim do Tabaco, com uma área total prevista de 6 mil metros quadrados; o escritório de advogados Vieira de Almeida escolheu também a zona ribeirinha como nova localização, num projecto na Rua D Luís I que contará com 12 mil metros quadrados de área; a Avenida 24 de Julho irá ainda receber, o grupo de media WPP, em cerca de 10 mil metros quadrados, resultantes de um projecto desenvolvido pelo The Edge Group.

No total, desde 2008 até 2016 inauguraram na zona ribeirinha cerca de 40 mil metros quadrados de espaços de escritórios, mais de 80% da oferta que inaugurou no mesmo período em toda a Zona 4.

É previsível que a forte atractividade da zona ribeirinha lisboeta para uso de escritórios se mantenha, com um alargamento da mesma até Alcântara, onde existem alguns projectos de escritórios com uma dimensão muito considerável, que, em breve, devem materializar-se, dada a escassez de espaços em toda a cidade.

in Construir.pt

Abril 2017

 

PARTILHA:

Comentários (2)

  1. licinio

    teste

    1. Ricardo Fernandes

      obrigada pelo seu comentário

Deixe o seu comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

ENCONTRE UM IMÓVEL
Inscreva-se

Seja o primeiro a conhecer os nossos imóveis e a receber novidades e as últimas notícias do mercado!